RAQUIMANOMETRIA

A determinação de pressão liquórica (PLi) é importante para avaliação da pressão intracraniana (PI). A medida da PLi é realizada no SEL com manômetros digitais, calibrados em cm de H20. O aumento da PLi pode ocorrer por 2 mecanismos fisiopatológicos distintos e que ocorrem isoladamente ou associados:

a- por aumento de volume intracraniano, como ocorre nos tumores, abscessos, cistos, edema, hematomas, etc. b- por aumento de volume líquido nos espaços sub-aracnóide e ventricular como ocorre nas meningites e alguns tipos de hidrocefalia.

Determina-se a PLi medindo-se a pressão inicial ou pressão de abertura (PI) e a pressão final (PF). Pode-se utilizar esses valores em conjunto com o volume coletado entre as duas medidas para cálculo dos Quocientes Raqueanos, que são:

a- Quociente raqueano ( quociente de Ayala) b- Quociente raqueano diferencial

Valores de referência (punção lombar com o paciente em decúbito lateral)

Pressão inicial: 05 a 20 cm H20 Pressão final: até 50% da PI

* A manometria deve ser realizada com paciente deitado e calmo.

Provas manométricas

As provas manométricas são utilizadas para diagnostico de bloqueios (obstruções) do canal raqueano. A prova mais freqüentemente utilizada é a prova de Stookey. Por meio de leve compressão das veias jugulares provoca-se aumento da PLi que é transmitida para o canal raqueano e detectada pelo manômetro. Em caso de bloqueio completo, esse aumento da PLi não é transmitido para o canal raqueano, na porção abaixo da compressão. Em bloqueios incompletos observa-se aumento pequeno da pressão e que persiste por algum tempo.

As provas manométricas estão em franco desuso em consequência à introdução dos métodos diagnósticos por imagem com alta resolução.

Voltar ao topo