PUNÇÃO

Os locais rotineiros  utilizados para punção liquórica, são, por ordem de frequência de realização, os seguintes:

a. Lombar
b. Sub-occipital
c. Ventricular

A via lombar é a mais utilizada por sugestão da Academia Brasileira de Neurologia. As vias sub-occipital e ventricular são reservadas para situações clínicas específicas nas quais o Médico solicitante e o Médico responsável pela punção estabelecem em comum sua indicação e local.

Por se tratar de ato médico com características invasivas, toda punção liquórica deve ser realizada por Médico especializado. Médicos com Título de Especialista em Patologia Clínica e em Neurologia são os profissionais mais freqüentemente solicitados para esse procedimento. Além disso, há a necessidade de consentimento informado por parte do paciente ou de seu responsável legal. Em todas as punções, exige-se a presença de auxiliar técnico treinado. Este profissional auxilia o Médico no correto posicionamento do paciente e sua manutenção na posição adequada. Cabe ao Médico orientar o paciente antes, durante e após o ato de punção, a escolha da via de punção, a execução da punção propriamente dita e a indicação de procedimentos acessórios que permitam maior conforto para o paciente entre os quais destacam-se a analgesia, a sedação e anestesia local. A anestesia geral também pode ser indicada para pacientes em condições clínicas especiais e sob regime de internação hospitalar. Exige a indicação do Médico solicitante e a participação obrigatória do Anestesiologista.

Para a realização da punção o paciente será colocado na posição deitado em decúbito lateral ou, menos freqüentemente, sentado. Esta última indicação é comum em crianças, para facilitar o acesso ao espaço inter-vetebral correto, para sua manutenção em posição adequada e para encurtar o tempo de procedimento. Esta posição também contribui para o encurtamento do tempo de execução do procedimento.

Orientações gerais

• Pacientes submetidos à punção sub-occipital podem retornar às suas atividades normais após o procedimento;

• Pacientes submetidos a punção lombar devem fazer repouso absoluto por 24 a 36 horas;

• Pacientes que apresentarem cefaleia após a punção, o que ocorre em aproximadamente 15% dos casos, devem ingerir líquidos e fazer repouso, conforme orientações disponibilizadas pelo SEL. Se a cefaleia persistir, contacte nossa equipe de Médicos.

Voltar ao topo